Cacique & Pajé 

João Platino & Flor Morena 

Grupo Violado

Nossa_Viola_cacique-e-paje_editado.jpg
foto_edited.jpg
foto 02.jpeg

Em 1978, apadrinhados por Tonico e Tinoco, Cacique e Pajé lançam alguns dos seus maiores sucessos, como Pescador e Catireiro, Rabicho, O milagre do batismo e Rapaz de gosto. No ano seguinte, gravam outros sucessos como Caçando e Pescando, Deixa o Índio em paz, Boiadeiro do mar e Minha palhoça. A dupla Cacique e Pajé completou 40 anos de carreia em 2018. Como falecimento do “cacique”, em março de 2019, a dupla passou a ser composta por Geraldo Aparecido da Silva o "Pajé” e seu irmão,  Sebastião Lourival da Silva, que assumiu o lugar do saudoso Cacique.

Adriana Farias

v2-13-696x398_edited.jpg

Cantora desde os nove anos de idade toca viola caipira e violão e sempre esteve envolvida com a cultura caipira. Gravou seu primeiro compacto aos onze anos de idade com o nome artítsico de HANAYNA. Aos quinze anos gravou seu segundo disco patrocinado pela Prefeitura de São Bernardo do Campo. Concorreu com 200 participantes ao Prêmio GAROTA SERTANEJA, ganhando em primeiro lugar. 

Atualmente desempenha um trabalho solo, totalmente voltado à música raiz, mas com a sofisticação e modernidade permitida nos tempos de hoje. 

Apresenta o programa "Viola, Minha Viola – Especial" que faz uma viagem pelos mais de 35 anos em que o programa foi ao ar apresentado pela saudosa Inezita Barroso.

Zé Garoto & Dimboré

Um dos mais tradicionais músicos do cenário da música caipira, Zé Garoto começou a carreira em 1970. Foi um dos pioneiros violeiros a se apresentar na década de 1980 no programa Viola, Minha Viola. Grande solista possui 20 discos gravados. Atualmente forma a dupla com seu filho Dimboré apresentando em seus shows grandes sucessos da carreira como “ A historia do Boi Soberano, ”Compadre Conquistador” "Deus Natureza", ”Brasil Colosso entre tantas outras.

Uma dupla sertaneja formada por pai e filha da cidade de Araraquara – SP. Vicente, violeiro, cantor e compositor sertanejo, conhecido artisticamente como João Platino é formador de gerações de violeiros. Um sonho de Vicente era ter um descendente com o mesmo gosto por este instrumento tão adorado por ele. Por isso aos quatro anos de idade sua filha Jenifer foi presenteada com uma miniatura de viola. Atualmente João Platino e Flor Morena interpretam sucessos da música sertaneja raiz além de manterem a Escola Sinfonia de Viola preservando a a tradição da verdadeira música sertaneja.  

O Grupo Violado está na estrada há mais de dez anos com um repertório baseado em clássicos da música caipira em ritmos como cururu, cateretê, toada, rasqueado, guarânia e pagode de viola. Obras de artistas como Rolando Boldrin, Tião Carreiro, Dino Franco, Moacyr dos Santos, Lourival dos Santos, Zé Fortuna, Tonico e Tinoco, entre outros, fazem parque do show.

O grupo também possui canções autorais como a música " Pego Pesado" que faz uma crítica a situação política do País e está no CD " Viola Enfeitiçada" recentemente lançado pela gravadora Atração Fonográfica,  

Em sua formação temos os músicos Guilherme Argentão (bateria e percussão), Fernando Tal (voz e violão), Lucas Campaci (viola caipira) e Filipe Rozinelli (baixolão). O objetivo dos artistas é valorizar a origem da música sertaneja raiz em arranjos de violas e violões. 

Foto site.png
Cidão Carreiro & Julinho 

Mogiano & Mogianinho

Jéssica & Juliana  

Cidão Carreiro é um violeiro reverenciado por toda Campinas e região, teve várias formações em sua carreira, no inicio Cidão Carreiro e Joãozinho, Cidão Carreiro e Silvinho, Cidão Carreiro e Sereno, gravando ao todo 7 cds e um um LP com Joãozinho. Em meados do ano de 2013, participando da Orquestra Cabocla de Campinas Cidão teve contato com Julinho. Foi no ensaio cantando “O mineiro e o Italiano” de Tião Carreiro, que Cidão ficou impressionado com uma primeira voz, que segundo ele, era como se fosse o Pardinho. A partir daí formaram a dupla e passaram a ensaiar regularmente. 

Em 2014, gravaram o cd com a música título “Voz da Sabedoria” de autoria de Sebastião Figueiredo, vários pagodes, querumanas e modas de viola.  

Na década de 50, incentivados pela família e por amigos surge a dupla "Irmãos Moreno" (José dos Santos Moreno e João Cleto). Naturais de Mogi-Mirim, interior do estado de São Paulo, que logo em seguida adotaram o nome artístico de "Mogiano e Mogianinho".

Na década de 70 foram para a televisão, onde trabalharam na TV Bandeirantes e Globo. Nessa época fizeram parte da famosa "Caravana do Bolinha" viajando e se apresentando por todo o Brasil por mais de um ano. Posteriormente realizaram uma temporada de shows com seus ídolos Tonico e Tinoco.

Carol Viola

Edited Image 2018-01-31 14-55-25

Pedro & Pedrinho 

PEDRO_PEDRINHO_SITE_02.png

Formada por pai e filho nos anos 90, em Piracicaba, a dupla tem como sua principal marca a divulgação da tradicional música sertaneja de raiz. Reproduzem um estilo já consagrado, que ganha um tempero especial no dueto formado pelas vozes de Pedro Correa da Silva (Pedro) e Pedro Samuel Canto Correa da Silva (Pedrinho).

Um marco importante para a dupla acontece em 2013, com o lançamento do primeiro CD com a participação especial de Craveiro e Cravinho, padrinhos de Pedro e Pedrinho.

Atualmente os artistas apresentam os shows "Tradição do Sertão" e "Tributo a Tonico e Tinoco"

.

O semblante de meninas pode facilmente enganar. Apesar da pouca idade, as irmãs

que formam a dupla Jéssica & Juliana já cantam juntas há 19 anos. Em 2019 fizeram uma pequena mudança nessa trajetória, mudando o nome da dupla, de "Jéssica & Jennifer" para Jéssica & Juliana, fechando assim um ciclo de muito aprendizado e vitórias para o início de outro, com novos projetos, novos ideais, mas com a mesma essência e verdade.

No estilo de cantar e tocar as irmãs trazem influências de várias gerações do estilo

sertanejo, desde o raiz, anos 90 até os sucessos atuais. Cantando e encantando, fazendo jus ao lema "Misturando influências, sem perder a essência".

WhatsApp Image 2021-08-21 at 15.57_edited.jpg

Araguaia Violeiro

Carol Viola tem 20 anos. Quando criança acompanhava o pai nos ensaios da orquestra de violeiros de Descalvado. Ninguém imaginava que ela estaria prestando tanta atenção às músicas que ali eram executadas.

Aos 11 anos disse que gostaria de tocar viola, e pediu para o pai lhe ensinar uma música. Desde então vem se destacando e fazendo apresentações em unidades do SESC-SP além de diversos eventos por todo o Estado de São Paulo.

Conhecido como Araguaia, ele é um Mineiro apaixonado pela música raiz. Começou a tocar viola Caipira em 1990. Desde lá, é envolvido no universo da música.

Foi integrante da Orquestra Paulistana de Viola Caipira em-SP Capital, hoje conhecida no Brasil e no exterior. Essa Orquestra foi um dos caminhos percorridos pelo músico ao longo de sua carreira na cidade de São Paulo. 

Formado em psicologia, José Ermelindo da Silva, o “Violeiro Araguaia” e acredita que a música é uma das melhores ferramentas que podem ser usadas no processo de socialização e promoção do bem-estar.

Evaldo Carvalho & Jaqueline 
Evaldo carvalho e Jaqueline www.nossavio
Carol Viola e Duda Cintra

Carol Viola & Duda Cintra

Célio & leandro 

João Carlos & Bruno 

Evaldo Carvalho & Jaqueline compoem uma dupla sertaneja formada por pai e filha, que procura resgatar na música sertaneja raiz a paz e a tranqüilidade do interior. Naturais de Monte Sião, em Minas Gerais, os músicos são de uma família que aprecia a música tradicional caipira e sempre faz rodas de viola em casa.

Pai e filha formaram a dupla em 2016 e desde então viajam pelo Brasil participando de encontros de violeiros e festivais nos quais sempre estão entre os 5 primeiros colocados.

Recentemente obtiveram a primeira colocação no festival de viola realizado na cidade de Vargem Grande do Sul- SP. A dupla também realiza shows pelo interior de São Paulo e Minas Gerais.

Nos camarins do programa Perfil Sertanejo elas se conheceram, em fevereiro de 2019, ensaiaram Caminheiro, que conheciam na voz de Liu & Léu e se apresentaram para um público que aplaudiu efusivamente, e clamaram para que a dupla fosse formada.

Começaram a ensaiar o repertório através de aplicativos da internet, onde uma mandava a voz para a outra ensaiar a outra voz. Apresentaram-se juntas pela primeira vez como dupla em junho de 2019 no Encontro de Violeiros de Brotas, onde tocaram mais de 30 duplas consagradas, com grande aceitação pelo público.

 

A dupla tem residência na cidade de Jaú-SP.  Cantores de competição viajam por varias regiões do Brasil se apresentando em grandes festivais interpretando músicas de raiz inéditas. Destacaram-se no cenário nacional em 2017 conquistando o primeiro lugar no festival “Violeira Rose Abrão”, em Barretos-SP, que é considerado o maior festival de música sertaneja raiz do Brasil. Em agosto de 2018 a dupla conquistou novamente o prêmio tornando-se bicampeã desde importante festival.

Sempre defendendo a música raiz, através da viola caipira, a dupla acaba de finalizar o primeiro CD intitulado Pintor do Infinito. O disco contém 13 faixas sendo a maioria músicas de raiz inéditas.

 

João Carlos e Bruno, desde meninos, se envolveram com o mundo sertanejo. Hoje conquistaram um espaço especial na seleta opinião do público. Com quatro CDs gravados, por onde eles passam, têm o trabalho reconhecido por conta do talento, carisma, alegria, profissionalismo e respeito ao seu público.

A música "Moderno Absurdo", que conta com a participação da dupla Cezar e Paulinho, tem tocado em diversas rádios do interior de SP.